Por Patricia Jacob*
Por que acontece de uma criança que já estava bem adaptada à escola, passar a não querer ir mais à aula? Bom, as causas podem ser várias e precisamos de muita sensibilidade para entender o que está acontecendo e tentar mudar a situação. A negação à escola pode ter duas raízes principais: pura “preguiça” ou uma possível fobia (medo intenso e incontrolável).

Algumas crianças, às vezes passam por um período de “preguiça”, acham tudo chato e passam a resistir e a arrumar mil desculpas para se safar da escola no início do ano escolar ou já no meio dele… Fica claro para os pais que não é medo (o medo a gente consegue notar facilmente em suas expressões) e logo percebem que é “enrolação” mesmo. O método mais eficaz a ser usado nesse caso, pais, é o da firmeza: “Tem que ir e não tem conversa!”. Ir à escola é uma obrigação da criança ou adolescente e tem que ser cumprida, como tantas outras obrigações que teremos que cumprir em nossas vidas. As crianças têm que entender isso desde cedo, principalmente no que se refere à vida escolar.

Mas isso vale só para as crianças mais velhas! As pequeninas, abaixo de 4 anos, ainda estão muito ligadas à vida familiar e às vezes se torna muito cansativo para elas ficarem tanto tempo longe de casa e de suas referências principais. Nesses casos, não se deve forçá-las, a não ser que a família não tenha outra opção. Elas ficam realmente cansadas ou precisando do aconchego do lar e isso deve ser respeitado. Muitos pais imaginam que se as deixarem ficar de vez em quando em casa, elas irão tornar-se irresponsáveis, mas pelo contrário! Se nessa tenra idade suas necessidades forem respeitadas, elas vão estar mais fortalecidas para dar conta da responsabilidade quando realmente for a hora.

E se for seu primeiro aninho na escola e ela está dando muito trabalho na fase de adaptação, então pode significar que ela ainda não está pronta, que ainda não consegue ficar longe de casa sozinha, o que não deve gerar preocupação e também deve ser respeitado. Essa fase é sempre motivo de ansiedade para os pais (inclusive para os pais psicólogos!), mas nesses casos percebemos que é só uma questão de tempo: se os pais tentam novamente dentro de alguns meses, a criança amadurece e se sente pronta pra ficar.

No próximo artigo (“Medo da escola”) vamos saber o que é fobia, como identificá-la e o que fazer para ajudar.

OBS: Aqui vão algumas dicas básicas. Se elas não te ajudaram, é sinal de que precisa procurar um profissional e falar AO VIVO com ele, para que ele possa avaliar com profundidade o seu caso. Infelizmente não posso responder perguntas de casos específicos via e-mail, ok? 😉

Patricia Jacob é psicóloga formada pela USP-SP.