Por Patricia Jacob*
Hoje gostaria de convidá-los a pensar sobre um grande dilema vivido pela maioria de nós: ninguém mais tem tempo para as crianças, mas as crianças demandam muito tempo. Demandam tempo para serem bem educadas e nutridas em suas necessidades emocionais. Os pais hoje em dia sofrem muito com o conflito “Trabalho versus Família”.

Para amenizar, muito se fala de que o que importa é a qualidade de tempo passada com os filhos e não a quantidade, e até certo ponto essa teoria é correta: não adianta uma mãe abrir mão de seu trabalho em prol dos filhos, se vai ficar em casa completamente infeliz, estressada e irritadiça. É melhor e muito mais saudável pra todos, se ela passar seu tempo necessário longe e voltar feliz, podendo estar bem com os filhos à noite, por exemplo.

No entanto, há um grande perigo se essa teoria da qualidade de tempo for levada a extremos. As crianças precisam de atenção, afeto, orientação e disciplina. Mas não há como oferecer tudo isso a elas, sem oferecer seu tempo disponível também. Não há atalhos para se criar filhos. O desenvolvimento infantil passa por determinadas fases, cada uma com sua importância, suas características e necessidades, e que não voltam mais depois de passado seu tempo. Quando se trata de filhos, só há uma chance. Se esperamos por uma hora melhor -“até eu terminar aquele meu projeto”, “até eu estar mais descansado”, “até a semana que vem” ou “ano que vem” -nossos filhos estarão crescidos e esse tempo vai estar perdido pra sempre.

Precisamos constantemente nos perguntar se estamos dando tempo suficiente a nossos filhos, se estamos nos doando suficientemente a eles. Mas como encontrar tempo nessa vida corrida que levamos? Bom, sempre achamos tempo para pessoas não tão importantes e para coisas não tão essenciais, não é…? Se pararmos para nos organizar, é incrível como conseguiremos encontrar tempo livre, se estivermos realmente dispostos a nos livrar do que não é essencial em nossas vidas. Devemos pesar cada prioridade de nosso dia-a-dia e refletir sobre o que vale a pena de verdade.

Quando encontramos tempo para nossos filhos, estamos mostrando a eles indiretamente quão importantes e amados eles são. E esse tempo é muito valioso, podem ter certeza!

Patricia Jacob é psicóloga clínica formada pela USP-SP.