Por Patricia Jacob*

A maioria das crianças está voltando para a escola nesse mês de Fevereiro. Férias acabando… “Ai, que bom!” ou “Ai, que chato!”? Como para a maioria dos adultos, também para as crianças, a volta às atividades normais do dia a dia geram um grande conflito. Como assim?

Na volta às aulas de Agosto, as crianças normalmente ficam muito reclamonas pois não tiveram tempo suficiente para descansar e brincar, não é assim? Já a volta às aulas do início do ano é geralmente diferente. Vocês já devem ter passado por situações em que queriam muito uma coisa, mas ao mesmo tempo não queriam… Como isso pode acontecer??? Querer uma coisa e ao mesmo tempo não querer??? Sim, isso é possível e normal em qualquer ser humano em algumas situações. A esses sentimentos opostos que aparecem ao mesmo tempo, chamamos de ambivalência.

Então é assim que funciona essa época para as crianças: elas estão fartas de tantas férias, completamente entediadas, pois já fizeram tudo o que podiam e mais um pouco, já estão estressadas de verem a cara brava da mãe que está mais estressada ainda, pois não sabe mais o que fazer com essas crianças dentro de casa (e, vocês sabem… criança quando fica entediada a-do-ra inventar confusão, brigar com o irmão… As mães ficam enlouquecidas!). Esse tempo mais longo de férias também traz saudades. Dos amigos, da escola, da professora. E além disso, ficam ansiosas com as novidades que vem aí: material novo (eles adoram essa parte!), professora nova, amigos novos… E ficam loucos pra que as aulas cheguem logo.

Mas, ao mesmo tempo… Ficam com uma preguiiiiiiça! “Ai… Agora não vou poder ficar acordado até tarde, vou ter tarefa de novo, vou ter que estudar…”. Então aqui aparece a ambivalência: quero, mas não quero. E essa ambivalência às vezes faz com que os primeiros dias sejam meio difíceis. A criança fica ansiosa, agitada, irritada; ou com cara de quem está indo pra forca, babando de sono na frente da professora; ou tagarela demais, querendo contar tudo sobre suas férias aos amigos (no meio da aula, claro!).

Mas por que estou falando disso? Por que, entendendo como acontece a ambivalência da volta às aulas, os pais e professores passam a compreender melhor alguns comportamentos das crianças nessa época do ano. É preciso bastante paciência e firmeza neste período, até que elas se adequem novamente à suas rotinas. Não se preocupem, não leva muito tempo… Devagarzinho elas vão se acostumando novamente, e tudo volta ao normal.

*Patricia Jacob é psicóloga clínica formada pela USP-SP.