Por Patricia Jacob*
Tenho pena das crianças de hoje em dia. Desde cedo cheias de compromissos e responsabilidades, com muito pouco tempo pra brincar e descobrir a vida; crescendo num ambiente competitivo estimulado muitas vezes por pais vaidosos querendo que seus filhos sejam os melhores em tudo; desde cedo já distanciadas da natureza e do natural…

Mas o que mais me assusta é a falta de liberdade e autonomia que a maioria vive hoje em dia. Trancadas em casa, como que num cativeiro, sem poder viver o prazer de brincar na rua livremente, sendo levadas pra todo canto de carro pelos pais mesmo tendo idade suficiente pra irem sós, algumas sem nem poder passar o dia em casa de amiguinhos, pois os pais têm medo de que elas estejam longe de seus olhares, nossas crianças estão se transformando em um bando de ‘bananas’ que não sabem se cuidar, ou robozinhos, que têm uma vida toda programada.

A criança ralou o joelho? “AONDE ESTAVAM ESSES PAIS QUE NÃO VIRAM ISSO???“ Os pais hoje em dia não se sentem responsáveis a não ser que estejam ativamente mantendo seus filhos seguros contra todos os perigos e ameaças, inclusive os muito remotos! Subir em árvore eles não podem mais. “Ah, o filho da prima da irmã da cunhada da minha vizinha trincou a coluna caindo de uma árvore!“. Toda uma geração de crianças que se criaram subindo em árvores e estão aí hoje em dia, sãs e salvas, não contam nessa hora. Aprender a cozinhar eles não podem mais. “Perigoso DEMAIS mexer em fogão (mesmo que a coordenação já esteja bem desenvolvida) porque a filha da vizinha da minha mãe teve queimadura de terceiro grau no corpo todo porque….“.

Claro que temos q ser cuidadosos e protetores com nossas crias! Mas se isso se torna uma preocupação constante, se fico achando que a qualquer momento meu filho pode ser seqüestrado porque vi no noticiário que uma garota do outro lado do mundo foi, isso já é paranóia e não cuidado. Precisamos aprender a orientar e ensinar devidamente nossos filhos a se cuidarem e se protegerem de perigos reais, mas não podá-los e superprotegê-los por conta de nossos medos de tudo. Superproteção é atestado de incapacidade pra criança e faz muito mal à sua auto-estima.

Mas nós pais não somos vilões! Somos vítimas também. Estamos inseguros e pressionados, vítimas da mídia, que nos enche de medo de tudo. Vítimas também de alguns profissionais da área de saúde que nos últimos anos têm passado a mensagem de que se alguma coisa ‘errada’ acontecer com as crianças, isso é sinal de que os pais não estavam atentos o suficiente, ou então que não são bons pais! Isso se tornou muito cansativo e ansiógeno! É… tenho pena dos pais também…rs.

*Patricia Jacob é psicóloga clínica formada pela USP-SP